Organizado pelo G10 Favelas, movimento ‘Panelas Vazias’ faz ato pacífico em SP nesta sexta-feira

Iniciativa visa impulsionar campanha de arrecadação de alimentos e chamar a atenção do poder público para a fome no país

Com mais de 300 mil mortos por Covid-19, a população brasileira vive não só o pior momento da pandemia até aqui como ainda precisa encarar desafios severos com o agravamento das desigualdades socioeconômicas. Com valor reduzido do auxílio emergencial, alta nas taxas de desemprego e as elevação nos preços dos produtos da cesta básica, a fome nas comunidades do país atinge níveis recorde.

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) , divulgados em setembro de 2020, contabilizam 10,3 milhões de pessoas em extrema pobreza, ou seja, que não têm condições de se alimentar. Diante dessa realidade, o G10 Favelas organiza um ato pacífico nesta sexta-feira (26\03), às 12h00 – hora do almoço – para pedir comida para moradores de diferentes regiões do Brasil. O ato ocorrerá de forma pacífica na avenida Giovanni Gronchi, seguindo as medidas de distanciamento e com utilização de máscaras de proteção. Os manifestantes usarão branco e ficarão em silêncio, segurando panelas vazias nas mãos.

Desta forma, a iniciativa visa chamar a atenção do poder público e da sociedade civil para ajudar as famílias que tentam superar a forte crise que abala a camada economicamente mais desfavorecida da sociedade, e cuja sobrevivência nesse momento de pandemia sofre com uma ameaça ainda maior que a Covid-19.

“Estamos no pior momento da pandemia e a realidade dos moradores de comunidades tem sido muito difícil. Ao longo de todos os meses da COVID-19 no país, nos organizamos com apoio de pessoas físicas e doações da iniciativa privada para assegurar a entrega de refeições para as famílias que ficaram sem quaisquer condições de levar alimentos para a mesa. Infelizmente, a fila da marmita só cresce, mas o volume de alimentos e doações vêm se reduzindo. O número de refeições não dá pra todo mundo… Há dias que acontecem até brigas e é inconcebível uma realidade na qual as pessoas briguem por comida, pois é o ápice do desespero pela sobrevivência. É muito triste”, relata Gilson Rodrigues, líder comunitário de Paraisópolis e coordenador nacional do G10 Favelas.

Doações para salvar vidas

Aqui em nossa comunidade, também há instituições que arrecadam doações para distribuir para as famílias mais necessitadas, como:

-Associação dos moradores do aglomerado Cabana – ASMAC (@asmacabana)

– Associação Primeiro de Maio (@associacao1demaio)

-Centro Juvenil Dom Bosco (@centrojuvenildombosco_bh)

Entre em contato com as instituições e saiba como doar, ou como se cadastrar para receber as doações.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s